Eu sou a vagabunda que partiu seu coração.

Eu sou a vagabunda que partiu seu coração
A vadia louca que te deu um sexo incrível
Mas que não quis passar a noite.
Eu sou a cachorra que incendiou seu quarto
Que mexeu com a sua cabeça
Mas que não tentou entrar no seu coração.
A indecisa que não sabe o que quer
Egoísta e vaidosa
Com um ego bom pra rebolar
Bom pra sentar
Bom pra chupar
Bom pra engolir.
Com uma cara perfeita pra você gozar
Pra você bater
Um rosto perfeito pra você esquecer.
Um corpo delicioso de pegar
De apertar
De morder
Uma flor incrível pra você entrar
Penetrar, bombar
Pra você se aquecer
Pra você se esquecer de quem é você
E se entregar ao prazer que ela pode te proporcionar.
Eu sou a puta que você vai contar na mesa de um bar
E vai dar risada da minha cara de tapada
Sempre calada, parada, sem dizer nada
Só observando coisas, pessoas, lugares
Com medo de sentir, medo de existir
Mas que na cama é a mulher perfeita pra você.
Eu sou a poeta que não sabe amar
Que não consegue demonstrar
Que não pede afeto
Que não age com delicadeza
Que não se mostra
E não cobra atenção de você.
Mas a verdade é que não gosto
Quando tocam onde faz doer.
Dói do lado esquerdo do meu peito
Bem abaixo do piercing no meu mamilo
Fetiche pra te excitar e te dar prazer
Mas onde dói é onde não dá pra ver
Dói o coração
Dói a alma da vadia.
Veja só!
A Sra.Fria tem coração!
Eu sou aquela que está na reserva
Esperando a moça de "respeito" cansar de você
Ou o dia que você vai se cansar dos bons modos e da perfeição dela
E vai querer meu mel pra lambuzar você.
Eu sou a inapropriada
Aquela que você liga no meio da noite
Pra queimar um
Pra cair de boca
Pra contar piadas
Pra recitar poemas indecentes.
Eu sou a poesia errada
O demônio em forma de gente
O pecado que mora ao lado
O fogo ardente que assusta gente feito você.
Até mesmo na infância eu quase não sorria
Gostava mesmo de escrever
Escrevia e imaginava ser exatamente aquilo que eu queria ser
E prometia pra mim que meu coração seria feliz
E que o amor verdadeiro chegaria e me faria viver.
Eu sou a desgraçada
Perdida
A intensa
A imunda
A boca suja
O brinquedo com defeito
O livro proibido
O fruto que já foi mordido várias vezes
A cobra que se enrosca no teu pau
A bruxa que enfeitiçou você
A mulher da sua vida.
Eu sou aquela que cai
Eu caio
Eu me afogo em mim
Eu queimo no meu mar
Eu me afogo na minha chama.
Sou poesia erótica
Quente
Inocente
Displicente
Rasgo o peito e o verbo
Militante da indecência
Pare de pedir pra eu me esconder!
Eu sou o livro que você não terminou de ler
A poesia que ninguém consegue escrever
O furacão que não se pode prever.
Eu sou o fim do mundo
O céu desabando enquanto o chuveiro abafa meu choro reprimido
Eu sou o sol que arde meus olhos vermelhos
A brisa que afaga meu pranto de moça sozinha
Sou meu próprio Deus
A minha salvação e a minha morte
Não tive sorte no amor
Talvez eu precise da dor para escrever.
Sou aquela que enlouquece e faz enlouquecer
A piranha linda que não cabe na foto de família
A poetisa que escreve aquilo que ninguém tem coragem de escrever.
Eu sou você
Eu só existo enquanto você me lê.

Autor desconhecido...
Se você sabe quem é o autor, comente no comentário, para poder colocar os devido crédito ao autor.

Leia Mais

Observadoras # 007










Leia Mais

Navegando nas noites frias...

Enquanto todos Dormem

Aviso

Atenção este Site é Aconselhavél para maiores de 18 anos. Aqui Expressamos o prazer de observar.

Este Site tem conteudo Adulto para maiores de 18 anos

Contato

Rede Sociais

Info
Parte do conteúdo aqui mostrado, foi extraído da internet. Caso se sinta ofendido, ou violado, por favor nos avise que o retiraremos imediatamente!