Poema - Sexo Oral



Primeiro a tua língua molha o meu
coração, num vagar de fera.
Estendo aurículas e ventrículos sobre a mesa, entre
os corpos, que desaparecem.
Não há mais ninguém no bar cheio de gente.
Abres-me agora os pulmões, um para cada lado, e sopras.
Respiras-me.
O lazer das tuas palavras rasga-me o lobo
frontal do cérebro.
A tua boca abre-se e fecha-se,fecha-se e abre-se, avançando
por dentro da minha cabeça.
As minhas cidades ruem como rios, correndo para o fundo dos teus olhos.
O tempo estilhaça-se no fogo
preso das nossas retinas.
O empregado do bar retira da mesa o nosso passado e arruma-o na vitrine,
ao lado dos exércitos de chumbo.
Entramos um no outro,
Abrindo e fechando as pernas
Das palavras, estremecendo no suor dos
Olhos abraçados, fazendo sexo
Com a lava incandescente dessa revolução
Imprevista a que damos o nome de prazer!!!


Obs: copiei de  tumblr, mais  não sei a  referencia do  ator !!!

0 comentários:

Postar um comentário


Então voçê, também gosta de ficar observando !!!

Interessante....

" Então conte para todos, como pode alguém observar, sem comentar para os outros, o que voçê tinha observado. "


Navegando nas noites frias...

Enquanto todos Dormem

Aviso

Atenção este Site é Aconselhavél para maiores de 18 anos. Aqui Expressamos o prazer de observar.

Este Site tem conteudo Adulto para maiores de 18 anos

Contato

Rede Sociais

Info
Parte do conteúdo aqui mostrado, foi extraído da internet. Caso se sinta ofendido, ou violado, por favor nos avise que o retiraremos imediatamente!